The creation

22 09 2009

Por Junior Mesquita ( aluno CSPP – Darwin – 2º Semestre FAPAN)

Vida de publicitário não é fácil, não existe um cargo simples ou que exija pouco do profissional. A criação é um aexemplo disso, e é lá que damos a luz ou simplesmente, como é dito nessa área, “parimos” uma ideia. A criação é centro luz da agência de publicidade, o “caldeirão” de idéias a serem elaboradas e selecionadas para a formação de uma peça publicitária. O setor de criação publicitária é sobrecarregado de trabalhos, um departamento que nunca fecha, atrelado ao briefing do atendimento e do planejamento da campanha.

Todo trabalho de criação é chamado de peças, sendo anúncios em mídia impressa, comercias em filmes, spots e jingles para rádios, além de mídia eletrônica avançada como internet, celular, dentre outros. É necessário explorar o diferencial de cada mídia, o ser criativo na agência busca sempre o novo, impressionando a quem vê.

Existe também as “pedras” no meio do caminho, aquele job chato ou de um cliente que desce quadrado… encarte, varejão com milhares de produtos, espocado com os preços, fundo brega… mas, nem sempre o cliente cede às justificativas da criação e consequentemente, somos obrigados a produzir aquela peã “pedra”, ruim mesmo já que o cliente insiste em ser assim, fazer o que né?

A estrutura do setor de criação é formada pelo diretor de criação (boss) que controla a qualidade das duplas criativas (redator e diretor de arte), arte finalista… O diretor de criação exerce função política, na definição do planejamento das campanhas. O diretor de arte recebe o briefing do atendimento, anliza td e passa pra dupla de criação, que desenvolvem a peça ou campanha e repassam pro diretor de criação aprovar (Toda peça publicitária tem que passar pelo diretor de criação, que está atento ao logotipo na peça, na harmonia da imagem, nos contatos do cliente, no nível de persuasão do texto e atenção com o target ou público alvo), o mesmo passa a criação para o atendimento que mostra pro cliente que é quem dá a aprovação final(onde antes recebe um plano de mídia com preços e peças que propostas para sua campanha). Após o OK do cliente, as peças são finalizadas (margem de corte, conversão de paleta de cores, cmyk, rgb, dependendo de onde a peça será veículada, tratamento de fotos, etc) e depois de finalizado, é repassado pra produção que manda os arquivos pra gráfica, produtora de vídeo, outdoor, dentre outros, que vão por a campanha “na rua”.

Ficamos até mais tarde finalizando peças, nos matamos no corel ou no illustrator vetorizando, no photoshop fazendo uns milagres, enchendo o bucho de pizza, almoçamos, as vezes, aquele salgado da padaria no final da tarde, o café preto é sagrado, críticas mesmo quando sua criação é brilhante, pouco reconhecimento por campanhas fantásticas (no máximo um parabéns…), aumento??? que aumento…?

Apesar de tudo, quem gosta do que faz acha gratificante ver seu trabalho na rua, dando resultado, pessoas comentando bem… isso é a criação, uma parte dos altos e baixos da publicidade.

Anúncios




Deixe a sua MARCA.

9 07 2009

marca

Nós que estudamos Publicidade e Propaganda vira e mexe escutamos a palavra marca e o seu significado para o mundo empresarial. A marca é a representação simbólica de uma entidade, seja ela qual for, algo que permita criar uma “ponte” imediata entre o signo e o ser que ele representa, por exemplo, uma impressão digital é a marca de alguém.
No nosso extremamente competitivo mundo globalizado estabelecer uma marca forte é muitíssimo importante para alcançar objetivos maiores. Existem casos tão notáveis de marcas que se tornaram tão fortes, que viraram sinônimos de produtos, como no caso da esponja de aço Bombril, das lâminas de barbear Gilette, das máquinas de fotocopiar Xerox, entre outras, e isso tem uma importância inestimável.
E quando nós como “produto” (ressaltando que esse termo é em sentido figurado) estabelecemos uma poderosa marca pessoal? E quando essa marca se destaca das demais se tornando a primeira a vir na cabeça das pessoas? O que se ganha com isso? A resposta é oportunidades,credibilidade, confiabilidade  e uma série de adjetivos que podem impulsionar a sua carreira.
Mas é importante investir na Marca para transformá-la em uma Top of Mind, fazer com que o seu nome fique gravado na mente das pessoas com alto poder de decisão. E assim como no mundo dos negócios é importante que a sua marca esteja frequentemente em evidência (quem não é visto não é lembrado), e como dizem “a propaganda é a alma do negócio”, e é muito importante fazer a sua, mas sem exageros tanto na dose quanto na frequência.
Uma boa propaganda é aquele que mostra mais VALOR do que custo, e é isso que deve ser feito, mas não basta aparecer, tem que ser. Pois se o anunciado não alcançar os objetivos que se propôs a cumprir, é propaganda enganosa, e assim perde toda a sua credibilidade.MKT pessoal.2
Para ter uma marca forte é preciso estar atento a certos detalhes, tais como, estar sempre atualizado (frequentemente fazer cursos e especializações), ser eficiente, dedicado, prestativo, otimista, sereno, motivado, possuir uma boa relação com as pessoas, e “vestir a camisa” da empresa (a que você trabalha ou que pretende trabalhar).
Construir uma Marca pessoal marcante e forte é o primeiro passo para alcançar o sucesso.Não seja um, seja O.

Por Willy Renan (CSPP – 2º Semestre)