Ação usa moscas como mídia para promover editora

30 10 2009

Eichborn_mosca_fly

Essa ação reforça a afirmação de que hoje tudo pode virar mídia. Até moscas. É isso mesmo.

Para promover e fazer com que as pessoas visitassem o stand uma editora chamada Eichborn (que usa como símbolo uma mosca) durante a Feira do Livro de Frankfurt, a agência Jung von Matt/Neckar resolveu inovar colando com cera pequenos banners em 200 moscas varejeiras que circulavam perto do stand e pousavam no seu “target” causando curiosidade.

Anúncios




The creation

22 09 2009

Por Junior Mesquita ( aluno CSPP – Darwin – 2º Semestre FAPAN)

Vida de publicitário não é fácil, não existe um cargo simples ou que exija pouco do profissional. A criação é um aexemplo disso, e é lá que damos a luz ou simplesmente, como é dito nessa área, “parimos” uma ideia. A criação é centro luz da agência de publicidade, o “caldeirão” de idéias a serem elaboradas e selecionadas para a formação de uma peça publicitária. O setor de criação publicitária é sobrecarregado de trabalhos, um departamento que nunca fecha, atrelado ao briefing do atendimento e do planejamento da campanha.

Todo trabalho de criação é chamado de peças, sendo anúncios em mídia impressa, comercias em filmes, spots e jingles para rádios, além de mídia eletrônica avançada como internet, celular, dentre outros. É necessário explorar o diferencial de cada mídia, o ser criativo na agência busca sempre o novo, impressionando a quem vê.

Existe também as “pedras” no meio do caminho, aquele job chato ou de um cliente que desce quadrado… encarte, varejão com milhares de produtos, espocado com os preços, fundo brega… mas, nem sempre o cliente cede às justificativas da criação e consequentemente, somos obrigados a produzir aquela peã “pedra”, ruim mesmo já que o cliente insiste em ser assim, fazer o que né?

A estrutura do setor de criação é formada pelo diretor de criação (boss) que controla a qualidade das duplas criativas (redator e diretor de arte), arte finalista… O diretor de criação exerce função política, na definição do planejamento das campanhas. O diretor de arte recebe o briefing do atendimento, anliza td e passa pra dupla de criação, que desenvolvem a peça ou campanha e repassam pro diretor de criação aprovar (Toda peça publicitária tem que passar pelo diretor de criação, que está atento ao logotipo na peça, na harmonia da imagem, nos contatos do cliente, no nível de persuasão do texto e atenção com o target ou público alvo), o mesmo passa a criação para o atendimento que mostra pro cliente que é quem dá a aprovação final(onde antes recebe um plano de mídia com preços e peças que propostas para sua campanha). Após o OK do cliente, as peças são finalizadas (margem de corte, conversão de paleta de cores, cmyk, rgb, dependendo de onde a peça será veículada, tratamento de fotos, etc) e depois de finalizado, é repassado pra produção que manda os arquivos pra gráfica, produtora de vídeo, outdoor, dentre outros, que vão por a campanha “na rua”.

Ficamos até mais tarde finalizando peças, nos matamos no corel ou no illustrator vetorizando, no photoshop fazendo uns milagres, enchendo o bucho de pizza, almoçamos, as vezes, aquele salgado da padaria no final da tarde, o café preto é sagrado, críticas mesmo quando sua criação é brilhante, pouco reconhecimento por campanhas fantásticas (no máximo um parabéns…), aumento??? que aumento…?

Apesar de tudo, quem gosta do que faz acha gratificante ver seu trabalho na rua, dando resultado, pessoas comentando bem… isso é a criação, uma parte dos altos e baixos da publicidade.





A grande idéia

22 05 2009

Por Renan Câmara (CS1Q34/Hydra – CSPP – 1º Semestre)

ideia

Como seria bom se tivesse uma fórmula para ter boas idéias, para transformar produtos em sonhos, para “vender” conceitos e valores, enfim, tudo o que é preciso para um publicitário.

De fato não existe uma fórmula milagrosa de idéias, o que existe é uma maneira de “potencializar” (vamos dizer assim) a criatividade, mas como fazer isso? Não é tão difícil quanto parece, o que precisamos e ter referências, precisamos ter um vasto repertório, e o que é esse tal repertório? Vez ou outra os professores falam de repertório, repertório nada mais é do que uma coleção de informações colhidas ao longo da vivência de cada indivíduo.

Para engrandecer o seu portfólio de idéias, para se ter um leque mais abrangente de conceitos, precisa-se agregar o maior numero de informações a ele. Então leia, ouça, veja, sinta, viva (parece até música da Pitty) e não tenha preconceitos em relação a aprendizagem, afinal de contas toda informação é útil (pode acreditar nisso!) para a construção de um profissional qualificado e de um cidadão responsável.





Fatos e motivação

15 04 2009

Por Acauã Pyatã (CSPP – CS1P34 – Darwin – 1º Semestre – FAPAN)

Observando alguns detalhes acerca do comportamento e postura dos alunos de minha sala, acabei refletindo sobre a forma como muitas vezes se tem talento para o curso de comunicação social, com habilitação em publicidade e propaganda, mas muitas vezes logo no principio muitos destes talentos acabam tendo dificuldades para explodir em desempenho.

Antes de mais nada é muito importante definir certos detalhes acerca de nosso curso e futura profissão. Para quem por exemplo é jornalista, os quesitos principais para essa habilitação é a capacidade básica de manter o padrão do jornalismo, que é justamente o que faz a qualidade do mesmo, entendendo assim o padrão, como o determinante auge para um jornalista se projetar, contudo o mesmo não acontece em nossa habilitação, a publicidade e propaganda.

motivacaoA publicidade e propaganda justamente se vale de não ter e nem obedecer padrões em sua forma de se desenvolver, apenas nos elementos técnicos, para tal, admite-se que o aluno de nosso curso tem que desenvolver características como: criatividade, pró atividade, imaginação, compulsão por desafios, capacidade de ter idéias e acima de tudo, de efetivar idéias. A idéia é o que justamente movimenta o publicitário, as de nada valem idéias de você não tem a capacidade de efetiva-las, sendo mais útil o individuo que tem a capacidade de efetivar idéias alheias do que a de ter idéias e não as executar.

Nosso mercado de trabalho regional é extremamente exigente e seletivo, dai admite-se que devemos sempre estar em constante evolução dentro de nossa vida acadêmica. Muitas vezes alguns colegas me perguntam acerca de detalhes como por exemplo, como enriquecer o vocabulário ou desenvolver com fluidez um discurso em público, daí diga-se de passagem, o segredo já é antigo e consiste na leitura. E a criatividade? Na pratica. E as idéias? compartilhando as suas e absorvendo a dos outros para referencia.

Existem vezes que colegas de nosso curso acabam por desanimar, seja por broncas de professores, seja por acharem que os trabalhos e idéias dos demais alunos da sala são muito bons e as suas parecem tão simples, contudo, posso afirmar com bastante propriedade que por mais que pareça que você não está engajado naquilo e que você tenha se enganado quanto ao curso que escolheu, a verdade é que você pode estar redondamente enganado(a).  Eu costumo dizer, embora não saiba se isso é idéia minha ou se em algum momento ouvi em algum lugar que, muitas vezes a maior fonte de talento está onde menos se espera, ou seja em nós mesmos, afinal de contas é verdade que alguns de nossos colegas de curso e de turma tem aparentemente uma certa facilidade em domínio de público, de ter idéias, executa-las, ou até mesmo parecem ser preferidos pelos professores, e isso ocorre porque de fato certas pessoas tem facilidade natural para isto ou então em sua carga de vivencia adquiriram experiencia pratica o suficiente que possibilita-se as mesmas a estar nesse nível, mas o mais importante é que você saiba e tenha certeza, que seja dom inato ou não, não existe DOM ou TALENTO que não possa ser galgado, preiteado, igualado ou superado pela esforço, dedicação e pela força do pensamento.

Digo isto porque percebo que com o passar do tempo alguns colegas demotivacao2 turma, e porque não dizer também de curso acabam desanimando e abandonando uma perspectiva que poderia futuramente ser algo para eles surpreendente devido esses desencontros de idéias e pensamentos, visto que para alguns parece ser tão fácil e para outros tão difícil.

O que eu pessoalmente tenho a dizer para os colegas que de repente estejam passando por esta situação é que não desistam, se você sente que gosta de publicidade e propaganda, siga em frente, de a cara ao sol, sinta o sangue escorrer pela garganta, mas siga em frente, porque nunca ninguém estará habilitado(a) a definir até onde você pode chegar ou não. Se de repente você percebe que não é isto que você de fato quer, tudo bem vá atrás daquilo que vai te fazer feliz, contudo, se você quer mesmo ser publicitário(a), tenha em mente que tudo isto é apenas o principio de uma serie de desafios simples, onde você sempre deverá se superar em vários aspectos antes, durante e até mesmo depois do seu desenvolver profissional, onde o desafio maior acima motivacao3de tudo é superar e surpreender-se a si mesmo, sempre.

Ser estudante de comunicação social com habilitação em publicidade e propaganda é sempre estar pronto para ser testado ate o seu limite, e transpor o limiar daquilo que definimos como maximo que podemos alcançar, porque nossa competência e saber é justamente este, sempre surpriender e ter grandes idéias, que rapidamente são superadas ou suplantadas por outras maiores ainda. Você gosta disso? Você quer isso? Você está disposto a isto? (risos), se você acha que sim, ou tem duvidas, então não peça para sair, pague para ver.

Agora vou dar algumas dicas que todo mundo já sabe, mas que vão ajudar muito num bom desenvolvimento dentro do nosso curso.

  • Tenha contato com tudo, não somente de publicidade mas com o todo, porque é justamente o todo que ira formar teu conhecimento geral e que determinara o sucesso do teu raciocínio e criação.

  • Leia bastante, pois somente assim você se munirá de subsídio teórico e enriquecerá seu vocabulário, podendo isto ser determinante na boa formação e fluirdes da tua oratória e expressão oral.

  • Não tenha medo de no principio copiar trabalhos ou técnicas de outros publicitários, fazendo outdoors parecidos ou coisa similar, procure sempre aprender com as boas idéias, dando teus toques, que com o tempo você começará a ter suas próprias “putas sacadas”.

  • Absorva o máximo de informações possíveis nas aulas, professores tem muito conhecimento e experiência para transferir para vocês, e as aulas SEMPRE serão a base de tudo, SEMPRE.

  • Acredite sempre em você, por mais que suas idéias pareçam mais simples que as dos colegas, isto de nada significa, afinal de contas o exercício leva boa pratica, que leva a experiência, que leva ao talento, que leva a excelência.

Bom eu poderia ainda falar um monte de outras coisas, mas o tamanho do artigo ja está mais do que saturando a leitura, por isso apenas digo que é isso ai pessoal. Dedico este artigo a todos os colegas da FAPAN que tem força e desejo de prosseguir mesmo que tudo pareça tão difícil e acima de tudo, disposição para encarar o desafio e bater de frente com seus próprios limites, sempre evoluindo. Abraços.