FGV oferece cursos online gratuitos!

12 02 2010

É isso mesmo, a Fundação Getulio Vargas – FGV, uma renomada instituição de ensino superior, especializada nos cursos de ciencias humanas (inclui comunicação), está disponibilizando no site FGV online cursos totalmente gratuitos, dentre eles dois extremamente importantes para nosso curso de Com. Social – Pub. e Propaganda, são os cursos de:

  • Processo de Comunicação e Comunicação Institucional.
  • Gestão de Marketing – Produto, Marca, Novos Produtos e Serviços.

Existem também cursos muito interessantes que estão relacionados como:

  • Gestão da Tecnologia da Informação – TI nas Organizações: Estratégia e Conceitos.
  • Técnicas de Gerência de Projetos – Gerenciamento do Escopo do Projeto.
  • Diversidade na Organização.

Estes foram apenas alguns dos que estão dispostos , e repito, totalmente online e de forma gratuita, dispostos sob a licença Creative Cammons 3.0 Brazil (irei escrever um artigo explicando o q, mas o que isso quer dizer? Simples! Que o conteúdo pode ser copiado, reproduzido, citado e até adaptado para uso não comercial. Ja cursei os dois primeiros que citei para vocês, da área de comunicação, e achei ambos muito ricos em informação, de didática altamente incrível e claro, que ficam ótimos no curriculum, com o selo da FGV. Só perde uma dessa mesmo quem for bocó.

O link para acessar a página, escolher o curso e se cadastrar (o cadastro é ridiculamente simples) é este: http://www5.fgv.br/fgvonline/CursosGratuitos.aspx

Esta dica chegou até mim através do Twitter e agora compartilho com vocês, uma ótima dica esta vocês não acham?! Caso linken em algum lugar só não se esqueçam de especificar a URL da fonte meninos e meninas. Fica aqui a dica do índio para vocês.

Fonte: Twittas de Acauã Pyatã.





Curiosidade: Slogan

27 08 2009

Dica de Acauã Pyatã (2º semestre – CS2P34 / Darwin)

Ao contrário do que muitos pensam, o termo slogan não é inglês. Sua origem é gaélica: sluagh-ghairn significa na velha Escócia “O grito de guerra de um clã”.
O Inglês adotou o termo em meados do século XVI, para transforma-lo, no século XIX em divisa de um partido e, a seguir, lhe deram o sentido comercial.