FGV oferece cursos online gratuitos!

12 02 2010

É isso mesmo, a Fundação Getulio Vargas – FGV, uma renomada instituição de ensino superior, especializada nos cursos de ciencias humanas (inclui comunicação), está disponibilizando no site FGV online cursos totalmente gratuitos, dentre eles dois extremamente importantes para nosso curso de Com. Social – Pub. e Propaganda, são os cursos de:

  • Processo de Comunicação e Comunicação Institucional.
  • Gestão de Marketing – Produto, Marca, Novos Produtos e Serviços.

Existem também cursos muito interessantes que estão relacionados como:

  • Gestão da Tecnologia da Informação – TI nas Organizações: Estratégia e Conceitos.
  • Técnicas de Gerência de Projetos – Gerenciamento do Escopo do Projeto.
  • Diversidade na Organização.

Estes foram apenas alguns dos que estão dispostos , e repito, totalmente online e de forma gratuita, dispostos sob a licença Creative Cammons 3.0 Brazil (irei escrever um artigo explicando o q, mas o que isso quer dizer? Simples! Que o conteúdo pode ser copiado, reproduzido, citado e até adaptado para uso não comercial. Ja cursei os dois primeiros que citei para vocês, da área de comunicação, e achei ambos muito ricos em informação, de didática altamente incrível e claro, que ficam ótimos no curriculum, com o selo da FGV. Só perde uma dessa mesmo quem for bocó.

O link para acessar a página, escolher o curso e se cadastrar (o cadastro é ridiculamente simples) é este: http://www5.fgv.br/fgvonline/CursosGratuitos.aspx

Esta dica chegou até mim através do Twitter e agora compartilho com vocês, uma ótima dica esta vocês não acham?! Caso linken em algum lugar só não se esqueçam de especificar a URL da fonte meninos e meninas. Fica aqui a dica do índio para vocês.

Fonte: Twittas de Acauã Pyatã.

Anúncios




Facebook quer potencial publicitário superior ao Google Ads

10 02 2010

A vice-presidente de operações do Facebook anunciou que a companhia de redes sociais está visando um mercado publicitário maior do que o de publicidade vinculada a buscas, que enriqueceu o Google.

Sheryl Sandberg também disse a um grupo de especialistas em alta tecnologia, na quinta-feira, que as receitas estavam crescendo tão rápido no Facebook, uma empresa de capital fechado, que ela havia saído do vermelho já este ano, e não em 2010, como previa inicialmente.

Um conselheiro da empresa disse que ela estava a caminho de faturar US$ 500 milhões este ano. Sandberg não ofereceu números para atualizar essa estimativa.

Sandberg expôs um plano para reforçar as receitas da empresa por meio de anúncios em novos formatos dirigidos aos seus 300 milhões de usuários.

Sandberg informou que o Facebook adotaria estratégia semelhante à do Google, no qual a publicidade tem formato semelhante às buscas.

Fonte: Reuters

Ctrl + C e Ctrl + V de Acauã Pyatã





A força das Redes Sociais

8 02 2010

A agênciaClick produziu um vídeo super interessante sobre mídias sociais. Alguns de você já tentaram convencer seus chefes ou empresas do poder das redes sociais? Belém que o diga, pois tentar trabalhar com isto aqui é uma verdadeira odisséia, afinal mesmo que você jogue números e fatos, ainda assim é difícil fazer com que entendam o poder contido em mídias sociais. Assistam o vídeo da Click, e vejam como de forma simples e pratica, depois de estudos e dados coletados durante 01 ano, a coisa fica mais simples:

A criação é de André Pinheiro, Estêvão Queiroga e Diego Araújo, com direção de Juliana Constantino. A direção de vídeo é de Steve ePonto, com edição de Fernando Colares e animação de Fabrício Lúcio e também Fernando Colares. A assinatura da trilha e dos efeitos sonoros é da Angels. Planejamento, pesquisa e concepção: Douglas Mello, Marina Pires. E locução: Estêvão Queiroga.

Vídeo xeretado por Acauã Pyatã





Maquina de Teleporte da Cerveja Andes

3 02 2010

A publicidade argentina sempre nos brinca com trabalhos que são realmente interessantes e relativamente criativos, embora em alguns casos não sejam muito inteligentes, mas uma cerveja desenvolveu um vídeo viral bem legal, e de forma divertida e bem humorada, vou dialogar diretamente com o público que interessa seus produtos (sejamos francos afinal somos mais de 75% da receita de produtores de cerveja), e veio a dar uma boa alternativa a todos os que gostam de uma cervejinha mas tem  uma “patroa” que te persegue e torra a paciência sempre que você está no bar com seus amigos. Achei muito legal e decidi dividir com vocês. Abraços.





1º de Fevereiro – Dia do Publicitário

1 02 2010





Opiniões divididas! Qual o destino das mídias?

8 01 2010
Artigo de Acauã Pyatã

Em uma das comunidades que participo, especificamente uma que trata de publicidade e propaganda, pude acompanhar e participar (sem muito a adicionar ao assunto) de um tópico que tratava de novas mídias vs. mídias convencionais, tendo como foco da discussão o fato de novas formas de mídia acabarem substituindo as atuais. Como exemplo podemos citar o caso dos jornais de papel vs. os virtuais,
que em Belém temos apenas um jornal de circulação estadual que disponibiliza o seu conteúdo na integra para o leitor em forma digital sem cobrar custo algum por isso, fato que não acabou por facilitar o acesso ao periódico. Pude apurar em pesquisa realizada por conta própria, que o leitor paraense ainda prefere o prazer de sentir o papel em suas mãos enquanto toma café de manhã do que acessar o conteúdo on-line. Dentre os jovens e adolescentes, muito pouco pode ser apurado, afinal a maioria dos entrevistados não tem costume de ler jornais, sendo a minoria restante divididos entre os que preferem o jornal impresso e os que aderiram ao formato digital. Isto apenas serve de retrato do comportamento do consumidor de meios midiáticos de nosso estado, que ainda mantem o costume de ler o bom e velho jornal impresso e reforça ainda o que todos nós já sabemos, que os jovens e adolescentes de nossa cidade não tem costume de ler jornais.
Ainda no tópico que me referi no inicio do artigo, que tratava dentre outras coisas, do fato da publicidade na web em 2015 superar a dos jornais, diz João José, publicitário paulista de longa experiencia na área de mídia, que tal alegação é irreal, como poderemos ver no conteúdo postado por ele:

Não vai.
Acredito que não vai.

Em 2008, os jornais receberam 15,9% dos investimentos publicitários no Brasil.
E a internet recebeu 3,7%, dos 21,4 milhões de reais investidos em mídia.
A TV ficou com 58,2%.

Neste ano, a web cresceu, sim, mas os jornais também tiveram aumento de faturamento e de circulação – como já vimos por aqui.

A web poderá superar os jornais e vai, mas ainda vai levar tempo – em termos de faturamento publicitário.

JJ

Após discussões, contra pontos, o mesmo usuário postou um vídeo a fim de reforçar seu argumento:

Ao analisar o tópico pude perceber dentre as opiniões, todas de estudantes ou de profissionais da propaganda, que a grande maioria está apostando na macro tendencia de novas formas de mídia poderem substituir as convencionais, alterando assim a forma como se faz e conhece propaganda e publicidade. Tenho observador no decorrer de meus estudos e atuação como profissional da área de publicidade on-line, que o comportamento do consumidor em relação a propaganda virtual e interativa tem apresentado gráficos que alcançam picos cada vez mais altos, arriscando até afirmar que tais forma de propaganda tem-se feito mais atrativas devido as novidades que oferecem em relação aos meios de mídia comum. Tratando da realidade nacional e especialmente local, afirmo que o Brasil irá assumir um posicionamento por parte do consumidor favorável as novas mídias e a propaganda nelas, mas por questões sócio-econômicas e culturais não será tão cedo que por aqui (Brasil e especialmente Belém), tal publicidade superara a das mídias comuns (rádio, TV e impressa).

e-reader

O povo paraense em especial tem o costume de manter viva tradições, o que é reforçado ainda pela questão econômica local, não permitindo que o paraense tenha acesso aos meios que o ponha em contato com as novas mídias e sua forma de fazer propaganda de forma facilitada. No exterior estão sendo lançados equipamentos que tem por objetivo facilitar a vida de usuários que preferirem ler livros no formato PDF ou como são chamados, os e-books, onde e quando quiserem sem precisar exatamente ter um computador consigo para isto. Este aparelhinho se chama e-reader, e tem um preço médio de US$ 250,00. Outra novidade que já está pintando também aqui no Brasil, são os equipamentos que permitem a leitura de jornais como New York Times, Folha de São Paulo e Estadão, com acesso via internet, tudo em tempo real na palma da mão, essa novidade se chama Kindle DX, que em uma tela de 9,5′ exibe jornais virtuais e ainda da suporte a arquivos PDF (e-books). O equipamento está custando a bagatela de US$ 485,00 o que deve ser algo em torno de R$ 1.700,00. Podemos observar com base nos preços que realmente os brasileiros, muito menos os paraenses terão acesso a estes “mimos” tão cedo. Considerando que a maioria da população além de não possuir condições financeiras para aquisição destes bens, embora todas as facilidades que possua (como poder baixar milhares de livros gratuitamente no formato e-book), não possuem também conhecimento técnico para operacionalizar tais tecnologias, observando ainda que é justamente esta maioria populacional que consome maior fatia de produtos e serviços, e são a eles que a publicidade de massa se direciona, fica claro que por enquanto, os meios comuns de mídia e as formas tradicionais de propaganda estão a salvo e não correm nenhum risco, podendo ainda quem sabe, perder espaço nos segmentos de classes A e B, que tem acesso aos dois fatores (técnico e financeiro) que possibilitem o emprego destes recursos, mas isto é questão de segmentar publicidade virtual e de novas mídias especifica nos meios para o público específico que se utiliza deles.Contudo, Belém não está morta e parada em relação a novas formas de propaganda. Uma novidade aqui, que está em voga em várias capitais brasileiras a muito tempo, é a famosa sinalização digital, que vem chamando a atenção das pessoas que transitam por espaços como Pátio Belém,

Tela LCD no shopping Doca, mídia in play - Foto do Diário do Pará

Shopping Doca, farmácias Big Bem, elevadores de alguns condomínios da cidade e outros espaços, onde podemos encontrar telas em LCD que exibem vídeos publicitários. Está tecnologia funciona através de centrais com servidores que tem a capacidade de direcionar os vídeos publicitários de interesse especifico para o segmento que frequenta o local em que as telas estão instaladas, logo é uma alternativa barata, livre, pública e interessante de se fazer propaganda segmentada e de massa. Imagine você em um elevador, sem nada para ver de interessante, logo você terá sua atenção presa pelo que houver de mais dinâmico naquele espaço, que seria a tela LCD, que estará exibindo propaganda, que de uma forma ou de outra foi levada ao público.

Tais situações são interessantes, e estas discussões são fundamentais para todos nós que somos estudantes de comunicação social, em especial de publicidade e propaganda, pois embora as coisas aqui andem em passos de tartaruga, tome cuidado, ficar antenado com as novidades nacionais e internacionais pode garantir um vantagem a mais na hora de oferecer para seus anunciantes aquilo que a eles muitas vezes faz toda a diferença, anunciar com novidades e criatividade.

Espero que tenham gostado do meu primeiro artigo de relevância deste ano, gostaria que comentassem expondo a opinião de vocês. E então? A publicidade na internet e das novas mídias irá superar as das mídias tradicionais? Agora é com vocês! Abraços!

Links:

Para saber mais sobre o e-reader click aqui.

Para saber mais sobre o Kindle DX clique aqui.

Fontes: Fotos da Info online e Diário do Pará e argumentos do post.





Pai nosso do Publicitário

31 12 2009

Já viram por ai textos que fazem brincadeiras com a oração do pai nosso, executando “paródias” com a mesma? Pois então! A caloura Caren, que estará começando o curso de Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda na FAPAN em 2010 me enviou por recado no orkut um desses textos bem interessantes que disponibilizo agora aqui.

Oração do Publicitário

Pai nosso que estais no céu,
Santificado seja o vosso cliente.
Venha a nós a vossa agência,
e seja feito o vosso briefing.
Assim no brainstorm como no insight.
A criação nossa de cada dia nos dai hoje.
Perdoai as nossas más idéias,
assim como nós perdoamos o anúncio que não tenha vendido,
e não nos deixe cair em má comunicação,
mas livrai-nos do Conar!
Amém!

Post de Acauã Pyatã (CSPP / FAPAN – 3º Semestre)