Grandes Comunicadores

1 07 2009

Por Willy Renan (CS1Q34 – CSPP – Hidra – 1º semestre)

michael_jackson_4Michael Jackson

            Existem pessoas que fizeram feitos tão grandes que transcenderam o limite da breve existência humana, homens e mulheres de proezas tão impressionantes que se tornaram símbolos, ícones, bandeiras, referências a alguma coisa, seres que foram imortalizados pelos seus atos.

            Agora vou começar uma série de artigos com o propósito de homenagear e relatar os feitos de pessoas que usaram a comunicação para fazer transformações (nem sempre boas) no meio em que viveram. Personagens que se tornaram ícones de uma geração, de um ideal, de um conceito, de uma luta e etc.

            Eu ia começar essa série falando do ativista pelo direito dos negros, o reverendo americano Martin Luther King Jr, porém, devido aos acontecimentos da última 5ª feira decidi homenagear o recentemente falecido o Rei do pop, Michael Jackson.

            “Mas como assim Michael Jackson? Ele nem foi um grande comunicador!”, me indagou um colega quando falei a respeito do artigo que eu tinha em mente, e é aí que ele se engana. Realmente ele não foi um grande discursista como Martin Luther King, Mahatma Gandhi, entre outros, porém, Jackson foi um grande comunicador. E ele usava meios não convencionais para isso. Ele se comunicava com sua dança performática de movimentos incríveis, com sua voz aguda e suave, com o ritmo contagiante da sua música. E decorrente do seu inigualável talento algumas regras caíram por terra.

            O seu álbum Thriller é um marco na luta contra a discriminação racial na indústria fonográfica. Mike foi o primeiro cantor afro-americano a receber exibição constante na MTV, rádios que outrora só tocavam música branca não puderam resistir e tiveram que tocar os sucessos de um artista negro.

            E não foi só na luta racial que Michael se destacou. Ele também encabeçou um movimento de artistas para arrecadar fundos para a campanha USA for África, onde escreveu a música “We Are The World” cujos lucros foram destinados a reduzir os índices de mortalidade pela fome no continente africano. Jackson foi um dos primeiros artistas a chamar à atenção do mundo para pesquisas sobre a cura da AIDS lançando o single Gone Too Song, na época havia um grande preconceito por parte das pessoas.

            Não foi só na música que Jackson foi revolucionário, seus videoclipes transformaram o jeito de produzir e fazer a promoção de músicas, sempre com efeitos especiais de ultima geração.

            E é por essas e outras que Michael Jackson está sendo relembrado aqui, tendo essa singela homenagem.

            Michael Joseph Jackson não foi apenas um cantor, dançarino, compositor, coreografo e empresário, ele foi um gênio a frente de seu tempo, e com a música e a dança falou muito mais do que muita gente. E ainda tem gente que acha que ele não foi um comunicador, vai entender!

            E se você acha que alguém deve ser citado e/ou homenageado de sua sugestão.

Valeu galera!!!

Anúncios

Ações

Information

8 responses

1 07 2009
Acauã Pyatã

Na minha opinião pessoal não vejo Mike Jackson como um comunicador, seja da forma mais profissional falando, seja da forma mais rala. Baseio minha tese no conceito de signos, onde é possível se comunicar algo, sem se ter a intenção de comunicar, logo, entender que Mike Jackson é um signo iconico e também indicial de mudança e transformação da forma de ver o artista e a música negra, ou que embora tenha empreitado uma tentativa de transformação social através da música (um conjunto de signos composto de sons e palavras), e de fato isto ocorreu, contudo o que comunicava ali não era ele de forma direta e com esta intenção tão clara (função própria de quem comunica, logo comunicador), mas o que ele SIMBOLIZAVA juntamente com seus atos (significação signica), então acredito que existe uma diferença entre os conceitos, pois um comunicador pode se valer de signos e até ser um signo, contudo um signo embora simbolize e remeta a algo, embora comunique algo, diga-se de passagem muitas vezes subjetiva ao entendimento e repertório individual, não pode ser considerado um comunicador, pois nem todo símbolo tem a intenção de comunicar, como por exemplo a imagem do Chaves, um signo que comunica a questão social da america latina, devido seu contexto, mas que se levado ao texto, simplesmente não comunica nada em si como uma simples imagem. Embora essas observações, gostei do artigo.

1 07 2009
Ramon Kenny

Além de estudante, quando dá eu gosto de tocar violão e guitarra. Penso que a música é algo que você deve fazer porque você ama o que está fazendo. Vi no artista Michael esse amor pela dança e música na forma de interpretar e de se apresentar, e acredito que foi esse amor pelo que ele fazia, que sua obra entrará para um seleto grupo de obras imortalizadas, um artista gênio. Se ele é ou não comunicador, é o mesmo que perguntar se a obra dele é mídia quente ou fria, pois ele pode comunnicar sim sem ser comunicador, e pode só entreter sendo comunicador, mas o principal que eu acredito é, que ele não era uma marionete, que simplesmente fazia o que seus produtores colocavam.Ele mesmo compunha, coregrafava, dava idéia para videoclipes (trhiller ex) diferente de muitos grupos e artistas que só fazem o que os produtores dizem. Agora que ele foi um gênio, isso realmente arísticamente falando ele foi.

1 07 2009
nathielle hernandez

adoreiiiii!
realmente ele era um ótimo comunicador…
em todos os sentidos e formas.
vai fazer falta…
😉

2 07 2009
Reinaldo

Eu também não acho que Michael Jackson foi um grande comunicador, eu tenho certeza disso.O problema é achar que a comunicação só pode ser feita através de meios convencionais. como o artigo diz, ele se comunicava com a dança e com a música (e não existe forma mais eficaz de comunicação). e é por isso que Michael era um gênio.

2 07 2009
Renan

faço minhas as suas palavras. acho eu que a comunicação tem várias facetas e a música é uma delas, e talvez seja a que consegue melhor falar com a alma (que filosofico, rsrsrsr)

2 07 2009
Reinaldo

não vejo Michael jackson como um comunicador apenas, eu o vejo como um grande comunicador, não era pq ele não discursava, que ele não era um comunicador. acho q como foi colocado no artigo, ele apenas usava outros meios para fazer isso. e com a música a maneira mais eficiente de estabalecer a comunicação.

8 07 2009
Bruno

só uma correção: o nome da música é gone too soon

3 08 2009
renan

Valeu aí Bruno, desculpa o erro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: