Formando ou destruindo opiniões e conceitos

3 04 2009

Por Acauã Pyatã (Turma Darwin – CSPP – 1º Semestre)

sinalatenac2a7aocuidadoEstive pensando um dia destes na forma como a comunicação tem um papel fundamental na formação do individuo e também é um fator relevante para a formação cultural e social de cada um, uma vez que o meio influencia e ajuda a moldar esse individuo, ao passo que esta relação com o meio que o cerca se dá quase que completamente por meio da comunicação direta ou indireta com os diversos e quase infinitos signos de nosso cotidiano. Com base dessa informação somos levados a nos questionar acerca do papel da comunicação como elemento positivo de formação do ser humano, ou até mesmo elemento de deterioração do caráter, e também incluindo nosso campo de estudo específico na FAPAN, a publicidade e propaganda, como um desses vários aspectos da comunicação, como um fator de formação de opiniões e conceitos, e até mesmo, destruição dos mesmos.

Primeiramente vamos tratar do aspecto da comunicação e o meio como influenciadores na formação do ser humano. A forma com que o ser humano se comunica com o seu meio e o meio se comunica com ele, ou seja, como se dá essa relação de troca de informações, pode contribuir ou definir de forma significativa para o caráter e forma de pensar e agir, levando especialmente em consideração o conceito que irá nos perseguir até o fim de nossas vidas como comunicólogos, que se resume em uma palavrinha: signos. Imagine você um garoto da periferia de nossa cidade por exemplo, criado na Vila da Barca, onde o fator de pobreza somado a ausência do poder público com saúde, educação e dignidade cria o ambiente apropriado a disseminação da marginalidade e ilegalidade, um individuo que tenha contato com este meio e se relacione com ele, terá duas opções, dependendo da forma como ele irá interpretar e reagir acerca dos signos que lhe serão apresentados, ou ele de repente interpreta o conjunto de signos que o meio comunicou a ele como uma questão de fato empírico e inerente a realidade dele, ora podendo também, interpretar tais signos como referencias de uma realidade que o desafie, anunciando exatamente a forma como ele não deve ser relacionar com o meio, tendo uma resposta contraria a que o seu meio lhe comunica, contra argumentando através de atitudes que iram comunicar a seu meio sua resolução diferenciada, escolhendo estudar, trabalhar e se deslocar daquela realidade.

Da mesma forma podemos enquadrar na questão parecida o individuo que cresça num ambiente de família de classe média e que tenha a opção de decodificar de forma única e própria os signos que a vida e seu ambiente irá lhe comunicar, fazendo escolhas com base no que foi capitado e interpretado, interagindo também comunicativamente com esse meio.

O que se comunica e como se comunica irá fazer parte integrante do meio em que se convive, influenciando o mesmo, que por sua vez irá comunicar a outras pessoas, que reagiram e responderam a essa comunicação de influenciando novamente o meio, e também sendo influenciados e assimcomunicar segue-se um esquema quase circular, uma relação entre individuo e meio, meio que é constituído por nada se não um conjunto de indivíduos que se comunicam constantemente, ora de forma linear, ora não.

A propaganda como instrumento de formação (ou destruição) de conceitos e opiniões.

O papel da propaganda como instrumento constitutivo desse meio tem um fator extremamente ativo visto que existe dentro da proposta publicitária, formar opiniões, conceitos e influenciar comportamentos através da propaganda, voltado hora para o meio comercial, ou para a simples difusão de idéias que influenciem uma forma de pensar ou agir.

Também podemos perceber por base no que foi dito acima que a propaganda carrega em si uma carga de idéias que iram formar o modo de pensar, o que logo será refletido em seu modo de ser e agir, podendo influenciar de forma positiva, ou também negativa o sentido de visão, ser ou estar do individuo que a absorve em relação a seu meio. Imagine você, uma propaganda mal interpretada, seja por motivos da má formulação da mesma, ou questões da própria forma de pensar do receptor, e está propaganda objetivando a influencia de um comportamento, conceito ou idéia, além de não atingir o objetivo desejado ainda pode promover quem sabe efeitos colaterais que não somente afetaram o individuo, mas também o meio uma vez que este individuo se comunica com o meio e vice-versa. Devemos lembrar sempre que a relação do individuo com o meio e multidisciplinar, visto que um influencia e se divide com o outro.

É importante analisarmos como futuros comunicólogos as formas com que a comunicação e em especial a propaganda deve ser analisada a medida que nosso campo do saber se expande pelos mais diversos horizontes e ramos de ciências e demais saberes, também se servindo e se compondo deles, sendo comunicar2assim o saber da comunicação um instrumento global que quando bem empregado, tem a capacidade de melhorar pessoas e meios, visto que também a mesma, em especial a propaganda, pode ser não um instrumento de melhora, mas sim de destruição de conceitos e deturpação de opiniões. Como futuros comunicólogos nos cabe vigiar o bom emprego de nosso instrumento de estudo, a fim de nos policiarmos para nunca cometermos erros clássicos, que outrora poderiam somar ao meio e seus indivíduos, ao invés de subtrair. Até a próxima.

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: